logo-gaza
1. APRESENTAÇÃO E SINOPSE
2. LINKS
3. FICHA TÉCNICA
4. ALGUMAS CRÍTICAS E COMENTÁRIOS
5. BREVE CURRÍCULO DE DEBORAH FINOCCHIARO, ÀUREA BAPTISTA E CAMILA BAUER
6. A COMPANHIA
7. NECESSIDADES TÉCNICAS

1. APRESENTAÇÃO E SINOPSE

Duas atrizes e uma tela, diferentes vozes, projeções e cenas que vão do cômico ao dramático, percorrendo as inúmeras “Faixas de Gaza” espalhadas pelo mundo inteiro.

 

A Faixa de Gaza é conhecida mundialmente, seu nome é uma referência. Mas, mesmo com a grande repercussão do que lá ocorre, não é, nem de longe, a mais expressiva história de desapossamento, sofrimento e violência contra homens, mulheres e crianças. Para além da conjuntura política, econômica e religiosa, o espetáculo GPS GAZA trata das questões humanas desse tipo de experiência. Países como Ruanda, Bangladesh, Brasil, Venezuela, Filipinas e povos como curdos, armênios, judeus, palestinos, japoneses, tibetanos, sírios, entre tantos outros, foram usados pela história afora, servindo a interesses que não incluem o respeito à pessoa e suas necessidades. Enquanto a geografia se altera anunciadamente pelos meios de comunicação, o flagelo dos envolvidos é citado em gráficos e percentuais que afastam a realidade da dor. São os muros – concretos ou metafóricos -, sempre construídos para afastar o que não se quer ver, sentir ou saber. Assim, GPS GAZA não se debruça sobre judeus e palestinos, percorre o mundo – em grandes guerras ou nos conflitos cotidianos da convivência – onde até Deus é vendido de acordo com interesses políticos e econômicos. A dramaturgia é livremente criada a partir de fragmentos de textos, depoimentos, músicas, filmes, referências e inspirações diversas. GPS GAZA procura a Faixa de Gaza existente nas sociedades contemporâneas e dentro de cada um, aqui e agora.

 

GPS GAZA estreou em setembro de 2014 como espetáculo convidado do 21º Festival Internacional de Teatro Porto Alegre em Cena. No mesmo ano foi indicado em cinco categorias do Prêmio Açorianos de Teatro (roteiro, atriz coadjuvante, atriz, direção e espetáculo). Entre outros, em 2015 participou do 25º FIG – Festival de Inverno de Garanhuns/PE, do 22º Floripa Teatro – Festival Isnard Azevedo – Florianópolis/SC e da 15º e 16º edição do Porto Verão Alegre (2014, 2015 e 2017); em 2016 do 1º Festival Regional em São Paulo/SP e do 13º Festival Palco Giratório SESC – Florianópolis/SC.

 

DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 60 minutos / CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 14 anos

3. FICHA TÉCNICA

Concepção e Roteiro: Camila Bauer e Deborah Finocchiaro

Roteiro livremente criado a partir de fragmentos de textos, músicas, vídeos e ideias de Deb Morgalin, Bernard-Marie Koltès, Achim Von Arnim, Rosina Duarte, José Saramago, Rosa Sala Rose, Deepak Chopra, Jéferson Rachewski, Camila Bauer, Deborah Finocchiaro, Kevin Brezolin, Sue Gotardo, B.Z. Goldberg, Peter Joseph, Deborah Cattani, entre outros depoimentos, entrevistas e inspirações diversas.

Direção: Camila Bauer

Atuação: Deborah Finocchiaro e Áurea Baptista

Assistência de Direção: Kevin Brezolin

Direção de Vídeo: Luiz Alberto Cassol

Direção de Fotografia: Lucas Tergolina

Câmeras: Lucas Tergolina e Mano (Josias Salvaterra)

Montagem e Finalização: Lucas Tergolina e Kevin Brezolin

Entrevistas e Imagens Adicionais: Kevin Brezolin

Som Direto: Kevin Brezolin, Sue Gotardo e Antonio Perra

Participação em Vídeo: Antonio Perra, Deborah Finocchiaro, João Schoninger, Luiz Paulo Vasconcelos  e Sandra Dani

Depoimento em Vídeo: Daisy Barella

Voz em Off:  Deborah Finocchiaro e Kevin Brezolin

Trilha Sonora: Fernando Lewis de Mattos e Kevin Brezolin (com exceção das músicas “Dinheiro” de Laura Finocchiaro e Leca Machado e “Aestas Phantasie” de Guilherme Tavares). Participação nas gravações do Grupo Música Mundana: Flávia Domingues Alves, Helena Oliveira Nunes, Lucas Alves, Fernando Lewis de Mattos

Iluminação: Carol Zimmer

Cenografia: Rodrigo Shalako e Antonio Perra

Figurinos:  O grupo, Ricardo Santanna e Vera Santanna

Confecção de Figurino: Naray Pereira, Ricardo Santanna e Vera Santanna

Programação Visual: Sandro Ka

Produção: Débora Nunes/Lucida Cultura, Áurea Baptista e Deborah Finocchiaro

Coordenação Geral: Deborah Finocchiaro

Realização: Companhia de Solos & Bem Acompanhados e Projeto Gompa

4. ALGUMAS CRÍTICAS E COMENTÁRIOS

“… Saí com uma sensação de preenchimento e gratidão e essas duas artistas e sua equipe pelo que me proporcionaram. Um espetáculo sensível, com muito conteúdo e cheio de significados; além de ser conduzidos por duas “divas” do teatro brasileiro. Parabéns e obrigado…”

Paulo Guimarães, bailarino, professor e empreendedor cultural

 

“… achei um trabalho excepcional o de vocês. E o texto é muito importante para o momento que estamos vivendo…”

José Eduardo Degrazia, escritor

 

“… Belíssimo espetáculo que emociona pela força das Atrizes pela Poesia de transpor a Faixa de Gaza para o cotidiano em que vivemos e faz com que nos responsabilizemos cada vez mais pelo Mundo, Cidade, Pessoas, Amigos e por Nós. A faixa de Gaza está dentro de cada um! Obrigado a toda equipe, eu sai tocado!!!”

Juliano Samarth Rossi, ator, artista plástico

 

“GPS GAZA estremece as bases nada sólidas da nossa zona de conforto. Vai ao encontro de um pensamento incessante: Em que lugar estou? O que faço de melhor para mim, para as pessoas, para a natureza, para o mundo? Um misto de frustração e de esperança. De doer o coração. Além, da performance brilhante das atrizes! Obrigada.”

Lia Ribeiro, publicitária e jornalista

 

“… Excelentes atrizes, o tema nos faz pensar muito na questão de Gaza. A peça expõe a situação de violência na Faixa de Gaza e faz nos pensar se não estamos vivendo essa mesma guerra, os mesmos sofrimentos , passando pelas mesmas misérias impostas por conceitos e pré conceitos…”

Marcia Lis, socióloga

 

“Sempre acreditei que o teatro se dispunha a acrescentar e conscientizar as pessoas… Mesmo que o espetáculo não fosse belíssimo (e é), mesmo se o enorme talento das atrizes não fizessem diferença (e FAZ!!!), mesmo se não existisse o olhar competente desta diretora (e existe!!!)…..GPS GAZA por si só valeriam pelo simples fato de colocarem na nossa cara toda uma realidade que EXISTE!!! …”

Carlos Azevedo, ator e iluminador

 

“Tentei encontrar uma palavra para definir o que senti assistindo a esse espetáculo e não achei, apesar de trabalhar com palavras a mais de 30 anos. Mas foi uma mistura de oco no peito, de soco no estômago e nó na garganta. Obrigada…”

Rosina Duarte, jornalista

 

“ … Com momentos muitos bonitos, a cena promove reflexões desse mundo tão problemático…”

Ivana Moura, Jornalista – http://www.satisfeitayolanda.com.br/blog/ – 25 de Julho de 2015 – Recife/PE

 

“São muito raros hoje em dia os espetáculos de teatro que abordam, direta ou indiretamente, os problemas que assolam o país e o mundo… Esse talvez seja o principal mérito da montagem de GPS Gaza… textos que conduzem o espectador a pensar em seu próprio universo, seus valores, sua ética, suas crenças e descrenças… A direção de Camila Bauer é sutil e ao mesmo tempo impactante, provocando momentos de reflexão sobre a faixa de Gaza que cada um carrega dentro de si, aquela área polêmica em eterno conflito entre tolerância e intolerância, teísmo e ateísmo, dogmas e o direito à liberdade de escolhas. A iluminação de Carol Zimmer e a trilha sonora de Fernando Mattos e Kevin Brezolin dão relevo às imagens criadas pelos vídeos de Luiz Alberto Cassol e às interpretações de Deborah Finocchiaro e Sandra Dani.”

Luiz Paulo Vasconcellos, Jornal Zero Hora, 30/09/2014 – Porto Alegre/RS

 

“… Se há um motivo pelo qual se deva assistir ao espetáculo é justamente o desempenho de ambas… não há dúvida de que o espetáculo se quer enquanto manifesto contrário à violência, o que só pode ser louvado e valorizado. Inclusive, evidencia a coerência da diretora e das intérpretes… Emocionou-me, sim, em vários momentos, pelas interpretações, pelos textos individualizados… A escolha da trilha sonora de Fernando Lewis de Mattos e Kevin Brezolin, é de excelente qualidade; os figurinos, desenvolvidos pelo grupo, com especial participação de Ricardo Santanna e Vera Santanna, são bem compostos e produzem excelente efeito cênico; a programação visual de Sandro Ka e a direção de vídeos de Luiz Alberto Cassol mostram preocupação com o bom acabamento das diferentes partes de que se compõe o espetáculo. GPS Gaza é importante, sim, e deve ser visto e discutido. …devemos ser gratos a estes artistas que, como se diz ao final do espetáculo, dispõe-se a nos chamar a atenção para um tema que, ao mesmo tempo, está tão perto e tão longe de nós…”

Antônio Hohlfeldt, Jornal do Comércio, 31/10/2014 – Porto Alegre/RS

5. BREVES CURRÍCULOS

Deborah Finocchiaro

Bacharel em Interpretação Teatral pela Faculdade de Artes Cênicas da UFRGS. Atriz, diretora, locutora, apresentadora, roteirista, autora e produtora. Trabalha no teatro, cinema, televisão e rádio desde 1985. Em sua trajetória, recebeu 32 prêmios, entre eles 9 de Melhor Espetáculo, 17 de Melhor Atriz, 1 de Melhor Direção, 1 de Melhor Texto Adaptado, 1 de Melhor Roteiro e 3 como Melhor Artista de Teatro.

Em 2006 criou a Companhia de Solos & Bem Acompanhados, e dela fazem parte as peças que atua e dirige, “Pois é Vizinha…” (1993), “Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario Quintana” (2006) e “O Macaco & A Velha” (2011); as esquetes “Crack – Queimando a Vida” (2009), “O Exame” (sobre prevenção do HIV -1998) e “Erico de Bolso” (2013); o sarau poético “Mais que

Nunca a Poesia (2006);  o projeto “Histórias de Um Canto do Mundo – Memórias de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul” (que consiste em um espetáculo solo, um show musical e um registro da

obra em livro/CD)  e os espetáculos “Um Certo Capitão Verissimo”, direção Paulo Mauro (2012) e “GPS GAZA”, direção Camila Bauer (2014). Seu mais recente trabalho é a peça “Caio do  Céu”, a partir da obra de Caio Fernando Abreu, direção Luís Arthur Nunes.

Assinou a direção do premiado espetáculo “O Urso” de Anton Tchekhov com o Grupo dos Cinco (2003). Entre outros, integrou o elenco de “Os Crimes da Rua do Arvoredo”, direção Camilo De Lélis (1999), “Hamleto”, direção Luciano Alabarse (1994), “Kaspar Hauser”, direção Oscar Simch (1986), “Risco, Arisco e Corisco”, direção Roberto Oliveira (1988) e “A Arca de Noé”, direção Zé Adão Barbosa (1991). No cinema, atuou em “A Matadeira”, direção Jorge Furtado (1994), “Nossa Sra do Caravaggio”, direção Fábio Barreto (2004), “Gildíssima”, direção Alexandre Derlan (2013), “Cromossomo 21”, direção Alex Duarte (2016) e “Bio”, de Carlos Gerbase (2016). Na televisão, nas minisséries da Rede Globo “Incidente em Antares” (1994), “Comédia da Vida Privada” (1997) e  nos programas especiais da RBS TV “Contos de Inverno”, “Na Trilha dos Farrapos” (2001), “Aventura” (2002), “Histórias Curtas” (2001, 2007, 2010, 2011 e 2012) e na série “Animal” do GNT, direção Paulo Nascimento (2014).

Em 2014 foi a artista homenageada do 21º Festival Internacional de Teatro Porto Alegre Em Cena, ganhando a biografia “A Arte Transformadora”, escrita pelo jornalista Luiz Gonzaga Lopes, que integra o 5º volume da coleção Gaúchos Em Cena.

Desde 2009 assina a coluna de teatro na Rádio Band News FM Porto Alegre – 99,3.

 

Áurea Baptista

Iniciou sua carreira no Teatro, onde participou montagens como “O Pagador de Promessas” (dir. Roberto Oliveira), “Marxismo, Ideologia e Rock’n Roll” (dir. Luciano Alabarse) e Romeu e Julieta (dir. Néstor Monastério), entre outras. Dirigiu o espetáculo, “Salomé, O Amor e Sua Sombra”, baseado no texto de Oscar Wilde, e atua e dirige o espetáculo “Música de Cena”, sobre canções compostas para Teatro. No Cinema e TV, atuou em dezenas de curta metragens como “Arroz Doce”, de Denise Marchi e “Quem é Rogério Carlos”, de Pedro Bughay. Em longas- metragem, participou dos geniais “Ainda Orangotangos”, de Gustavo Spolidoro, e “Os Famosos e os Duendes da Morte”, do diretor paulista Esmir Filho, pelo qual recebeu o Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante no Festival de Cinema de Goiânia. Em 2012, atuou no longa “O Tempo e o Vento”, dirigido por Jayme Monjardim, “Mar Inquieto”, de Fernando Mantelli e, em 2015, de “Mulher do Pai”, de Cristiane Oliveira. Para a TV, entre outros, participou de “Sem Sinal”, do diretor Vicente Moreno para o “Curtas RBS” (premio Melhor Atriz Coadjuvante) e “O Último Chocolate”, de Flávia Seligmann. De 2012 a 2014, participou do elenco de “Doce de Mãe”, seriado Rede Globo, dirigido por Jorge Furtado e Ana Azevedo. Hoje, integra elenco de série ainda inédita para o Canal Brasil. Cantando, participou cantando dos CDs Flicts (Arthur de Faria & Seu Conjunto), “Calvo com Sobrepeso”, do paulista Edson Natale e no “Show Música Pra Bater Pezinho” (Arthur de Faria) e no longa-documentário “Espia Só”, sobre a vida do compositor portoalegrense Otávio Dutra, com direção de Saturnino Rocha. Como produtora realizou, entre outros, a produção executica do “CD Flicts”, do “CD Meu Conjunto Tem Concerto” e “Música Pra Ouvir Sentado”, ambos do grupo Arthur de Faria & Seu Conjunto, e no Musical Documentário para Cinema “Espia Só”, do diretor Saturnino Rocha. Em 2013, integrou o júri de Curtas Nacionais do Festival de Cinema de Gramado.

 

Camila Bauer

Diretora teatral e professora do Departamento de Arte Dramática – UFRGS. Doutora em “Ciências do Espetáculo” pela Universidade de Sevilha e em “Informação e Comunicação: menção Artes da Cena” pela Universidade Livre de Bruxelas (2010), realizou o Mestrado Europeu em Artes do Espetáculo Vivo (2008), com estâncias na Espanha, França, Grécia e Bélgica. Graduada em direção teatral pela UFRGS (2004), desenvolveu diferentes projetos de direção, os mais recentes sendo Estremeço (2012, Porto Alegre), Ópera L´Orfeu (2013, Porto Alegre), Ópera Dido e Enéias (2012, Porto Alegre), Sappho in Fragments (2010, Atenas), co-dirigido por Kornilia Vasileiadou, e financiado pela Harvard University e American-Hellenic Association; MedeaMaterial (2009, Sevilha); En la tierra de las lluvias dormidas (2008, Sevilha); La Intrusa (2006,Sevilha), entre outros.

Trabalhou como professora de teatro na Universidade de Sevilha entre 2007 e 2010, nos cursos de graduação e pós-graduação, com ênfase em dramaturgia e direção teatral, alem de ministrar seminários e workshops na mesma área. Em 2012, recebeu o Prêmio Braskem de Melhor Direção Teatral por Estremeço (Porto Alegre). Ministrou oficinas e palestras sobre dramaturgia e encenação no México (2012) e Espanha (2014).

6. A COMPANHIA

A Companhia de Solos & Bem Acompanhados, um dos núcleos de criação cênica mais atuantes do Rio Grande do Sul. Caracteriza-se pela mescla de diferentes linguagens, versatilidade e escolha de temas que estimulam a reflexão e o pensamento crítico. Em sua trajetória, já atingiu mais de 500.000 pessoas através de seus espetáculos, oficinas e performances. Atualmente tem em seu repertório os espetáculos “Pois é, Vizinha…”, direção Deborah Finocchiaro; “Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario Quintana”, direção Deborah Finocchiaro e Jessé Oliveira; “GPS GAZA”, direção Camila Bauer e “Caio do Céu”, direção Luís Artur Nunes. E as peças curtas “Histórias de Um Canto do Mundo Chamado Sul” e “Erico de Bolso”.

Além de dezenas de indicações, recebeu 35 prêmios, entre eles 9 de melhor espetáculo, 17 de melhor atriz, 2 de melhor cenário, 1 de melhor direção, trilha, texto adaptado, roteiro e 3 prêmios como melhor artista de teatro. Já percorreu mais de 80 cidades no RS, 18 estados brasileiros, Uruguai e Argentina, participando de temporadas, projetos, mostras e festivais nacionais e internacionais.

7. NECESSIDADES TÉCNICAS

O espetáculo tem versatilidade, podendo adaptar-se a diferentes espaços e condições técnicas a combinar.
 
ESPAÇO

Caixa preta, fundo preto; 05 varas internas, 01 vara externa, 01 vara de proscênio e 01 vara para cenário (antes da última vara de luz);

Dimensões de palco: Altura: 7m, Largura: 8m, Profundidade: 8m
 
PROJEÇÃO

01 aparelho data-show (mínimo de 7.000 ansi lumens) que deverá estar no local da apresentação no horário marcado para início da montagem.

 

ILUMINAÇÃO – O rider especificado abaixo poderá adaptar-se a partir das condições técnicas locais.

14 Elipsoidal ETC zoom 25º – 50º (com faca, 2 porta gobo)

02 Elipsoidal ETC 10º (com íris)

14 Plano Convexo

12 Fresnel

12 Set light (pode ser substituido por 06 Ribaltas Led RGB)

04 P.A.R. 64 foco 5

03 P.A.R. 56 foco fechado (loco light)

Mesa Avolites Pearl 2010

36 canais de Rack

 

SUSTENTAÇÃO

05 varas no palco (sendo uma delas atrás do cenário)

06 escadas laterais

01 vara de proscênio

01 vara de frente

03 suporte de piso (pé de galinha)

 

EFEITOS – somente para apresentações fora do RS

01 Máquina de Fumaça DMX com ventilador (controle da cabine).

obs: sempre que possível colocada no sistema de ar-condicionado.

 

SONORIZAÇÃO

01 mesa de som de no mínimo 12 canais (analógica ou digital)
Sistema de PA (preferencialmente com sistema de subwoofer)
Sistema de retorno (preferencialmente side-fill)
Cabo p2 estéreo/p10 estéreo (ou p2 estéreo/2 p10 mono)

 
MONTAGEM: 10 horas / DESMONTAGEM: 02 horas

 

PESO DO CENÁRIO: 60kg

 

TRANSPORTE – Cenário e Equipe

Dependendo da distância, transporte aéreo ou van ou carro grande para cenário e equipe de seis pessoas (não incluindo motorista): 02 atrizes, 01 diretor, 01 produtor, 01 técnico de som e projeção, 01 técnico de luz.

 

ESTADIA E ALIMENTAÇÃO

Para 06 pessoas (não incluindo motorista)

Rooming list: 04 apartamento single e 01 apartamento duplo

 

 

www.facebook.com/GPSGAZA

www.facebook.com/companhiadesolosebemacompanhados/