APRESENTAÇÃO E SINOPSE

Sobre Anjos & Grilos é um espetáculo lírico, cômico, poético – no qual uma atriz, numa junção entre a fala, o gesto, a poesia, as artes plásticas e a música, conta, interpreta e canta textos e poemas de Mario Quintana, revelando não apenas o Mario confessional e lírico dos poemas, mas sua face pouco conhecida: a das entrevistas e das frases agudas e desconcertantes que questionam os valores da sociedade, da vida e da morte.

 

A interpretação investe na pesquisa de linguagem e valoriza, potencializa e contracena com os textos, com a trilha e com as imagens projetadas em forma de quadros e animações em uma tela transparente disposta no fundo do palco. A trilha sonora original, fundamental para a construção da linguagem do espetáculo, alicerça a obra. Caracteriza-se pela fusão de diferentes estilos e efeitos sonoros que variam entre sons de selva e cidade, riffs de guitarra, percussão, música erudita e pop.

 

Mario Quintana (1906/1994) é voz ímpar na literatura brasileira do último século. Contestando valores, pesquisando e subvertendo formas, transcendeu o conceito de escola literária e notabilizou-se pelo padrão de suas obras. Sua poética colabora para expandir o pensamento sobre questões cruciais do nosso tempo.

 

O espetáculo estreou em Porto Alegre em junho de 2006 e vem percorrendo vários estados brasileiros (RN, TO, PI, AP, MG, MA, SE, CE, DF, PB, PE, MS, GO, RJ, SP, PR, SC, RS), participando de temporadas, projetos e festivais nacionais e internacionais, conquistando plateias de todas as idades e de diferentes classes sociais.

 

Com o objetivo de perpetuar aquilo que no palco é impermanente e oportunizar a expansão e a acessibilidade da obra, em maio de 2015 foi lançado o CD Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario Quintana contendo os textos e a trilha do espetáculo e em maio de 2017 o DVD homônimo, gravado em 2015 no Theatro São Pedro em Porto Alegre/RS, dirigido pelo cineasta Alexandre Derlan da Prosa Filmes. O DVD traz a apresentação do espetáculo com recurso de audiodescrição, legendas em português e inglês e o mini-documentário “10 anos em 10 minutos”.

 

Sobre Anjos & Grilos vem contribuindo para quebrar a resistência em relação à poesia, reafirmando, assim, a crença no poder da representação cênica como caminho de questionamentos e transformações.

 

DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 60 minutos
CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: livre

 

PREMIAÇÕES

Prêmio Quero-Quero SATED/RS 2006 de Melhor Atriz;

Prêmio de Melhor Espetáculo, Melhor Cenário, Melhor Trilha Sonora e Melhor Atriz no XIV Festival Nacional de Teatro de Florianópolis Isnard Azevedo 2007;

Prêmio de Melhor Atriz no VII Festival de Teatro de Resende 2007;

Prêmio de Melhor Atriz e Júri Popular Melhor Espetáculo no 35° FENATA – Festival Nacional de Teatro de Ponta Grossa 2007;

Prêmio de Melhor Espetáculo, Melhor Atriz, Melhor Texto Adaptado e Prêmio Especial do Júri para Zoravia Bettiol no 2º FENAT  – Festival Nacional de Teatro de Campos dos Goytacazes 2007;

Prêmio Funarte de Teatro Myrian Muniz 2011 (Circulação da Companhia de Solos & Bem Acompanhados – PI, TO, RN);

Prêmio de 3º Melhor Espetáculo no 8º Festival Nacional de Teatro de Limeira 2012;

Prêmio de Melhor Atriz, 2º Melhor Espetáculo e Melhor Cenário no 2º FESTKAOS – Cubatão/SP 2013.

FICHA TÉCNICA

Textos e Poemas – Mario Quintana

Concepção, Roteiro e Atuação – Deborah Finocchiaro

Direção – Deborah Finocchiaro e Jessé Oliveira

Cenografia e Imagens – Zoravia Bettiol

Trilha Sonora original – Chico Ferreti

(Com exceção das músicas Ecogliter, de Laura Finocchiaro e Franco Junior, e trechos das músicas Baleada Noturna, de Lory Finocchiaro,
4ª Sinfonia de Mahler e Concertos de Brandenburgo n° 4 e 5 de Johann S. 
Bach)

Voz em Off – Paulo José

Iluminação – Jessé Oliveira, Leandro Roos Pires e Fabrício Simões

Produção de Vídeo e Animação – Alcir Saraiva

Técnico de Som e Imagens – Luciano Garofalo Leite

Figurino – Raquel Cappelletto

Programação Gráfica – Ricky Bols

Preparação Vocal – Lúcia Passos

Orientação Corporal – Cibele Sastre

Produção – Cristiane Cubas e Deborah Finocchiaro

Direção Geral – Deborah Finocchiaro

Realização – Companhia de Solos & Bem Acompanhados

ALGUMAS CRÍTICAS E COMENTÁRIOS

“Começo pelo óbvio ululante: és uma atriz natural, de estonteante versatilidade… Adorei teu critério na escolha dos poemas de Quintana. Optaste – e pela tua seleção te felicito com veemência –  por um viés inédito: – o do lirismo agudo, por vezes, metafísico, cá é lá surrealista, porém sempre comunicativo do Grande Poeta, por sua denúncia do burguesismo da sociedade, por seu nonsense impregnado de verdadeiro Humanismo. Esse nonsense acaba varrendo do palco – e da memória e imaginação dos que assistem  aos shows, a hipocrisia, as falsas pompas do status, a onipotência do dinheiro… Fazes rir os espectadores por fora, e os fazes chorar por dentro, uma vez que as lágrimas que Quintana provoca nunca são lágrimas de umedecimento de pupilas: são lágrimas de coração que não se rende à mediocridade da vida cotidiana… … Parabéns, parabéns , querida Deborah! Que Deus te ajude a divertir e a conscientizar o público, a semear-lhe, como quem está brincando com o fogo, nas mentes e corações, o que de melhor existe na nossa condição humana: a solidariedade, e o amor ao próximo. A Arte não é moralista, nem precisa disso. A Arte é uma ética, e nos seus mais puros momentos nos sugere que Deus existe…”

Armindo Trevisan,  poeta, crítico de arte e ensaísta  – 15/01/14 – Porto Alegre/RS

 

“… Com um vasto, rico e consagrado material literário em mãos, a criadora entende a poesia como uma possibilidade de vida, renegando a declamação e fugindo das esperadas impostações e cadências regulares a iniciativas pares… aqui, Finocchiaro é anárquica em seu entendimento: desobedece, desordena e usa a poesia moldando-a em si, tomando-a, vestindo-a, deglutindo suas palavras em diferentes interpretações, de forma muito livre e pessoal no que de mais potente tem enquanto acontecimento… Destaca-se a interação com a projeção que deixa de ser mero pano de fundo – paisagem -, para se tornar um outro elemento de expressividade – tal qual corpo e voz – utilizada pela intérprete para desenhar suas situações. As imagens da artística plástica Zoravia Bettiol possuem traços naïf, materializando elementos sem impor uma imagem como ilustração meramente realista, mas sim exercício de imaginação lúdica de uma realidade, tal qual é o filtro da poesia… …Igualmente servindo a cena está a iluminação… A música de Chico Ferretti consegue equilibrar a sensação agradável etérea até momentos mais intensos de rock, inflamando assim o que é dito… Autoral sem ser personalista, Deborah demonstra que o criador tange as várias funções dentro do fazer, nesse delicado e belo pedaço de poesia e vida que é “Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario Quintana” assinado por sua Cia. de Solos & Bem Acompanhados.”

Lucianno Maza, dramaturgo, diretor e crítico de teatro – Blog Zine Cultural, 03/09/2013 – Juiz de Fora/MG

 

“Sob as asas da poesia

… O jogo de construção é dos mais inteligentes para driblar o risco permanente de virar um recital… o encantamento da cena se faz no uso destes elementos e como se combinam com o corpo/ voz/ gestos da atriz; como as imagens que se projetam sobre este figurino, dando ao poema outra dimensão, abrindo, ampliando o seu dizer.
… Este Quintana em Deborah de todo modo é um encontro de sabedorias: da atriz, que através dos versos do poeta gaúcho nos fala do mundo, dos seus problemas e de sua magia. Do grande mundo, de infinita beleza, que há nas pequenas coisas. Da beleza que existe no mistério da vida, do simples ato de viver…  Deborah é atriz inteira em cena, pulsando com as palavras… A interpretação diz mais do que o poema, diz o mesmo, diz outra coisa?  No caso de Deborah esta outra coisa jamais nega o poema, abre-o… E assim como se apropria dos poemas, a atriz apropria-se também das imagens, compõe com elas, brinca com elas, num jogo de rara interação entre projeções, luzes e atriz, onde nada é simplesmente cenário ou iluminação, mas tudo é dramaturgia, interpretação, leituras, dizeres. …Saímos do espetáculo abençoados, protegidos pelas asas benfazejas de Deborah-Quintana, e tomados pela imensa alegria de viver que sua cena transpira.”

Eliane Lisboa, Professora de teatro no curso de Arte e Mídia da Universidade Federal de Campina Grande/PB, diretora teatral, dramaturga, dramaturgista e tradutora – Blog do Zine Cultural, 03/09/2013 – Juiz de Fora/MG

 

“ Um raio fulminante de luzes e dramaturgia varreu o solo do palco… esteve cheia de graça, alegria e virtuose mimetizada entre obra e artista quintaniano, a atriz Deborah Finocchiaro que não deixou sobra de não entendimento, nem sombra de falha de compreensão das falas de Mario… A iluminação grave para feitos e efeitos de técnica invejável… Sons, luzes, imagens animadas, signos e siglas poéticos, emblemas e ilustrações de natureza criativa em mímesis da humanidade experimentada, um luxo de concentrado ato dramático eficaz… Definem para acertos de contas, a performance inteira de Deborah, em poeta feito forma vívida, e a equipe fechada que assina como Companhia de Solos & Bem Acompanhados…”

Maneco Nascimento, ator, radialista e jornalista  – Blog do Maneco – www.vooz.com.br / manekonascimento.blogspot.com , 08/08/2012 – Teresina/PI

 

“A beleza esteve em Teresina! Faço referência ao espetáculo “Sobre Anjos & Grilos”, ancorado na poética de Mario Quintana e com a vibrante performance de Deborah Finocchiaro. Delicadeza e profundidade pisaram no palco. O poeta ganhou uma representação cênica afinada com o encanto da sua poesia. O solo de uma atriz bem acompanhado dos poemas e textos de um poeta subvertedor e transcendente… O teatro está vivo!”

Francisco Junior, Dr. em Sociologia e Professor da UFPI – 08/08/2012 – Teresina/PI

 

“… cumplicidade talvez seja a palavra mais adequada para se referir a este espetáculo… Mas seu protagonista não é nem o poeta, nem a atriz: é a própria poesia. Dela fala-se todo o tempo. E é através dela que se deve pensar e fruir Sobre Anjos & Grilos. Em outras palavras: ler/ver/ouvir/sentir o espetáculo como um poema.”

Igor de Almeida, crítico do XVIII FENTEPP – www.fentepp.com.br/noticias, 31/08/2011 – Presidente Prudente/SP

 

“… com sua força divina de atriz… naquela noite que celebrou o caminho da construção entre o texto falado e o gesto escrito, reescreveu o que por ali já havia sido escrito pelo Mario cantando seus Quintanares…  O Poeta! Com todas as vozes de Deborah… Dançando, pulando, balançando sonhos como criança montada sobre um “cavalo de fogo” emprestado pelo poeta como sonho dentro do sono…”

Zé Augustho Marques, Poeta e editor de artes da Revista e Jornal Fala Brasil –  www.zepoesia.blogspot.com – maio 2011 / Jornal Fala Brasil, Julho 2011 – Porto Alegre/RS / Livro “Escritos 5”, organizado por Benedito Saldanha, Editora Revolução Cultural, 2013

 

“… desobediente fidelidade e parcimoniosa grandeza. A nudez despojada e ultrajante do palco dá espaço à cuidadosa e exata iluminação que compõe o ritmo e o tom da peça, aliada às gravuras de Zoravia Bettiol, estas alinhadas ao tom de singela loucura que caracteriza o poeta-tema do espetáculo… Ambos, Deborah e Mario, ficaram. Fundiram-se à paisagem e ao cotidiano desta distante Porto Alegre ao ponto de muitas vezes não sabermos distinguir o que estes artistas revelam da cidade e o que através dela dizem de si próprios. E deste microcosmo às vezes tão pequeno, às vezes tão provinciano, às vezes tão mesmo, leram e cantaram o intangível universal…”
Wagner Machado – portadordeausencias.blogspot.com – 6/06/2011 – Porto Alegre/RS

 

“Sou fã da atriz portoalegrense Deborah Finocchiaro. Já saí de Joinville com destino a POA só para vê-la atuar… Da primeira vez que assisti Finocchiaro com o “Pois é, Vizinha” há dez anos, mudou meu olhar como platéia… Que leveza! Ela não atua. Se diverte e nos encanta… A mistura do teatro com as projeções de vídeo e os efeitos visuais produzidos na peça são encantadores… Ótimo!…”

Altamir Andrade, jornalista – www.jornalistaandrade.blogspot.com, 31/05/2011 –  Joinville/SC

 

“Veio lá de Porto Alegre, o espetáculo da Companhia de Solos & Bem Acompanhados, com a talentosíssima Deborah Finocchiaro… Num espetáculo que utiliza com delicadeza a tecnologia, os poemas e textos de Quintana fluem pelo palco, através do corpo e da voz da intérprete… Tecnicamente impecável, tudo conflui para o êxito da tarefa. O palco se torna um altar para as palavras do poeta…”

Celso Jr., ator, diretor e professor de Teatro da Universidade Federal de Sergipe – Blog Cadernos Grampeados, 22/03/2011 – Aracaju/SE

 

“… uma das atrizes mais corajosas que eu tive a honra de assistir e conhecer… assim montando essa lufada de esperança na vida que é Sobre Anjos e Grilos…. As gravuras inspiradas no universo do poeta são impecavelmente projetadas, explosões de cores dando forma aos poemas… Sentado no teatro, pensei: “E essa mesma mulher fez uma puta extraordinária na outra peça, Vozes Urbanas! … A sensação é de que a atriz vai ser abraçada pela plateia a qualquer momento… A peça leva a plateia à loucura, arrancando muitas gargalhadas…”

Guilherme Nervo – percebeoteatro.blogspot.com – 28/01/2010 – Porto Alegre/RS

 

“… En un despliegue corporal, gestual y vocal notable, la actriz compone un rico mosaico de la vida y los escritos del poeta Mário Quintana… el montaje consigue una fluida fusión de narración, canción e imágenes, en una rica interacción con una creación videográfica de pintura en animación de Zoravia Bettiol, que crean un mundo fantástico y risueño, entre expresionista y “naif”…”

José Henríquez – Revista Primer Acto – cuadernos de investigación teatral, dezembro de 2008 –  Madrid / Espanha

 

“… la magnífica actriz y directora Deborah Finocchiaro se acerca al mundo poético de Mario Quintana para ofrecer en Sobre Anjos & Grilos o Universo de Mario Quintana un espléndido trabajo unipersonal en donde la calidad interpretativa, la potencia poética de las palabras de Quintana y un bello trabajo audiovisual ilustrativo van creando un campo artístico realmente cálido, cercano, que te interpela, te hace participar.”

Carlos Gil Zamora – Revista Artez, setembro de 2008 –  Bilbao / Espanha

 

“…a peça encanta não só pelo texto primoroso do poeta gaúcho, mas pela interpretação impecável e a cenografia caprichada. O público sai do teatro entusiasmado…”

Aline Adolphs – Site Espaço Brasil Telecom, 10/09/08, Brasília / DF

 

“…uma das melhores atrizes gaúchas, transita do humor mais rasgado para a sinceridade mais comovente em questão de segundos…  E agora, debruçada sobre poesias de Quintana, atinge uma maturidade digna de todos os elogios… uma apresentação inesquecível no palco mais importante de Recife, causando uma impressionante ovação da platéia… através do seu trabalho, diminuiu a distância entre capitais tão distanciadas…”

Luciano Alabarse, coordenador do Festival Internacional PORTO ALEGRE EM CENA – Jornal Usina do Porto, março de 2008 – Porto Alegre / RS

 

“Sensível!  Monólogo sobre o poeta Mario Quintana causou emoção… Durante cerca de uma hora, ela fez o público se emocionar com as palavras do poeta, que ganharam vida numa interpretação efusiva, bem além do que  entendemos por um simples recital de versos. Até quem não gosta de poesia deve ter mudado de idéia ao se ver caindo na risada com as ironias de Quintana.”

Olívia Mindêlo – Jornal do Commercio, 21/01/2008 – Recife / PE

 

“…uma montagem absurdamente contemporânea e ao mesmo tempo doce, delicada, bem-humorada, irônica, corrosiva e definitiva de um dos maiores poetas que o Brasil já conheceu…”

Helcio Kovaleski – Diário dos Campos, 14/11/07 – Ponta Grossa / PR

 

“A atriz, com surpreendente desenvoltura, interpreta parte da obra de um dos nomes mais representativos da poesia brasileira. Criativas ilustrações projetadas e uma contagiante trilha sonora se fundem à energia de Deborah para recriar com graça o imaginário de Quintana.”

Dirceu Alves Jr. –  Veja São Paulo, 05/09/2007 – São Paulo / SP

 

“Há algo de novo acontecendo quando uma atriz levanta numa ovação 900 pessoas de um teatro lotado. Deborah envolveu uma multidão de jovens na descoberta de um outro Mario Quintana além da imagem clássica do poeta solitário das coisas simples. Surgiu um Quintana maior e mais profundo, assim como – uma vez mais – surgiu a chama do talento apaixonado de Deborah Finocchiaro.”

Jefferson Del Rios – Crítico teatral, maio de 2007 –  São Paulo / SP

 

“…um recital de poemas transmutado em encenação respeitabilíssima… Não é fácil levar uma platéia de teatro a aplaudir um verso escrito na parede… Na trilha sonora, cheia de estilo, uma contribuição ousada à obra do poeta: quem conseguiria combinar rasgo de guitarra com poema de Quintana? O figurino foge do básico, tem função dramatúrgica… o espetáculo foi ovacionado no final da apresentação no festival de teatro de Florianópolis…”

Henrique Ungaretti – O Estado, 14 e 15/04/2007 – Florianópolis / SC

 

“Deborah Finocchiaro faz do espetáculo um poema em movimento, bela homenagem ao poeta Mario Quintana, num olhar único e particular da atriz neste trabalho ! … A utilização de recursos multimídia, com a projeção de postais especialmente criados pela artista plástica Zoravia Bettiol e uma trilha sonora bem arranjada por Chico Ferreti, completam o clima evocado pelas leituras e dão ritmo à peça…”

Karine Ruy  – Diário Catarinense, 14/04/07 – Florianópolis / SC

 

“… Atriz e projeção multimídia são na verdade um único corpo. O texto é construído de uma forma tão natural que às vezes é possível esquecer que se está ouvindo um poema. Aqueles que dizem não gostar de poesia deveriam assistir…”

Marcela Benvegnu – Jornal de Piracicaba, 24/11/06 – Piracicaba / SP

 

“… a platéia fica em profundo transe, seduzida pela fascinante movimentação da atriz… O palco chega a ficar pequeno para tanta energia, beleza e movimento poéticos… um painel branco recebe projeções de gravuras da artista plástica Zorávia Bettiol, e a interação destas imagens com Deborah, com o texto e com a platéia cria uma atmosfera mágica com poucos equivalentes… uma trilha sonora deliciosamente combinada a todas as demais linguagens… a iluminação, é absolutamente sincronizada e integrada a cada cena… A justa medida entre todos estes elementos bem-resolvidos é o que torna esta peça inexplicável em apenas verbo. Imperdível.”

Júlia Timm – Cyberfam (FAMECOS – PUCRS), 12/09/06 – Porto Alegre / RS

 

“Alimento para o espírito! Não há como não se emocionar em Sobre Anjos e Grilos…  a atriz trabalha sozinha em uma performance encantadora, de verdadeira entrega ao universo do poeta…”

Adriana Lampert – Jornal Já, 12/09/06 – Porto Alegre / RS

 

“…La actriz, se presenta, recorre el escenario, lo adopta, lo hace hablar. Aparece en su persona el poeta: ella dice, recita, enseña, baila, vence, convence; avasalla con la convicción que imparte su voz y con la autoridad con que habla su cuerpo. Las claras y delicadas reflexiones y observaciones del poeta tienen en ella a una intérprete con un alma afín…”

Jorge Arias – Revista Cultura,  23/08/06 – Montevidéu / Uruguai

 

“… por apreciar o profissionalismo de Deborah Finocchiaro, uma grande atriz e sua equipe de produção, que não deixam nada a desejar… Tudo lindo, tudo puro, tudo belo!…”

Rosane Scherer – Jornal Fala Brasil!, agosto de 2006 – Porto Alegre/RS

 

“…Sabidamente, Deborah é reconhecida como umas de nossas maiores intérpretes… Coloca-se sempre novos desafios, predominantemente em espetáculos-solo, quando trabalha enquanto atriz; mas não foge da própria direção de cena, como ainda recentemente aconteceu com Tchekov, com extraordinário resultado… obrigado, Deborah, por permitir que teu Mario também seja nosso. E obrigado por evidenciar que a poesia é, verdadeiramente, uma experiência universal, como bem comprovas com teu belo e sentido espetáculo.”

Antonio Hohlfeldt – Jornal do Comércio, 21/07/06 – Porto Alegre / RS

 

“… Dizer que existe apenas Deborah Finocchiaro em cena é simplificar: uma das atrizes mais versáteis de sua geração, ela canta, vai da femme fatale à menininha ingênua com um olhar, e faz funcionar muito bem a interação com a tela no fundo do palco… Sobre Anjos & Grilos é uma das melhores homenagens que Quintana poderia receber: aposta na emoção, exibe habilidade e arrisca na forma.”

Renato Mendonça – Zero Hora, 07/07/06 – Porto Alegre / RS

BREVES CURRÍCULOS

Deborah Finocchiaro é bacharel em Interpretação Teatral pela Faculdade de Artes Cênicas da UFRGS. Atriz, diretora, locutora, apresentadora, roteirista, autora e produtora. Trabalha no teatro, cinema, televisão e rádio desde 1985. Em sua trajetória, recebeu 32 prêmios, entre eles 9 de Melhor Espetáculo, 17 de Melhor Atriz, 1 de Melhor Direção, 1 de Melhor Texto Adaptado, 1 de Melhor Roteiro e 3 como Melhor Artista de Teatro.  Em 2014 foi a artista homenageada do 21º Festival Internacional de Teatro Porto Alegre Em Cena, ganhando a biografia “A Arte Transformadora”, escrita pelo jornalista Luiz Gonzaga Lopes, que integra o 5º volume da coleção Gaúchos Em Cena. Desde 2009 assina a coluna de teatro na Rádio Band News FM Porto Alegre – 99,3.

 

Zoravia Bettiol, é artista plástica, designer e arte-educadora. Nasceu em POA/RS em 1935. Dedica-se, há 57 anos, a diversas modalidades artísticas como artes gráficas, arte têxtil, pintura, design de superfície, mural, instalação e performance. Participou de 133 exposições individuais entre 1959 e 2012 na América do Sul, EUA, Europa e Japão, sendo que as mais significativas foram a exposição retrospectiva: Zoravia Bettiol – A Mais Simples Complexidade e o lançamento do livro homônimo no MARGS, Porto Alegre, RS, em 2007 e a mostra Aos Grandes Mestres – Zoravia Bettiol com a pré-estréia do filme Zoravia, do cineasta Henrique de Freitas Lima em Porto Alegre, 2011.

 

Participou de inúmeras mostras coletivas significativas no Brasil e exterior, como: XVIII TH Graphic Artes International Biennial, Liulbliane,Yugoslávia,1987; IV eme Biennale Internationale de la Tapisserie, Museé Cantonal de Beaux Arts, Lausanne, Suíça,1969.Impressões: Panorama da Xilogravura Brasileira , Santander Cultural, Porto Alegre, RS, 2004, Cow-Parade, Porto Alegre, RS, 2010, Aire- 6™ World Textil Art Biennial – Artistas convidados – Jardins da USBI, Xalapa, México.

 

Suas obras estão em acervos dos principais museus do Brasil, entre eles o MAM/RJ e o MAM/SP; Pinacoteca do Estado de SP e, no exterior: Metropolitan Museum e Brooklim Museum, ambos em Nova Iorque; Kunstindustriemuseet de Oslo; Nacional Gallery de Praga; Museum of modern Art de Kyoto. Tem ministrado cursos de arte têxtil, design de jóias, headdress, instalação, pintura e desenho no Brasil e EUA. Tem participado de associações culturais e ecológicas e é coordenadora da Comissão Pró-Museu das Águas de Porto Alegre.

A COMPANHIA

A Companhia de Solos & Bem Acompanhados, um dos núcleos de criação cênica mais atuantes do Rio Grande do Sul. Caracteriza-se pela mescla de diferentes linguagens, versatilidade e escolha de temas que estimulam a reflexão e o pensamento crítico. Em sua trajetória, já atingiu mais de 500.000 pessoas através de seus espetáculos, oficinas e performances. Atualmente tem em seu repertório os espetáculos “Pois é, Vizinha…”, direção Deborah Finocchiaro; “Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario Quintana”, direção Deborah Finocchiaro e Jessé Oliveira; “GPS GAZA”, direção Camila Bauer e “Caio do Céu”, direção Luís Artur Nunes. E as peças curtas “Histórias de Um Canto do Mundo Chamado Sul” e “Erico de Bolso”.

 

Além de dezenas de indicações, recebeu 35 prêmios, entre eles 9 de melhor espetáculo, 17 de melhor atriz, 2 de melhor cenário, 1 de melhor direção, trilha, texto adaptado, roteiro e 3 prêmios como melhor artista de teatro. Já percorreu mais de 80 cidades no RS, 18 estados brasileiros, Uruguai e Argentina, participando de temporadas, projetos, mostras e festivais nacionais e internacionais.

NECESSIDADES TÉCNICAS

O espetáculo tem versatilidade, podendo adaptar-se a diferentes espaços e condições técnicas a combinar.

 

MATERIAL (somente para apresentações fora do RS)

01 banco de madeira alto – tipo banco de bar – ( VEJA A FOTO );

01 cadeira de ferro tubular preta – tipo de escritório – ( VEJA A FOTO );
 
ESPAÇO

Caixa preta, fundo preto; 04 varas internas, 01 vara externa (para luz) e 01 vara para cenário (entre a 3° e a 4° vara de luz);

Dimensões do palco: Altura: 7m, Largura: 12m, Profundidade: 9m
 
PROJEÇÃO

 01 aparelho data-show (mínimo de 4.000 ansi lumens), que deverá estar no local da apresentação no horário marcado para início da montagem e 01 cabo que conecte o projetor à house mix (compatível com o projetor e com o espaço, preferencialmente HDMI).
 
ILUMINAÇÃO – O rider especificado abaixo poderá adaptar-se a partir das condições técnicas locais.

24 lâmpadas par 64 #5

14 Pcs 1000 W
10 fresnéis de 1000 W

17 bandor

11 elipsoidais ETC completos (36º )

01 lâmpadas par 56

04 moving light
06 Pés de galinha
11 escadas laterais (ou pirulito de 2m)

01 mesa digital 24/48

30 canais de rack  4000 W/CANAL

03 Técnicos para montagem

01 Técnico responsável pela mesa

Responsável técnico de luz – Leandro Pires – Fone: 51 98140.1615 / leroospires@gmail.com

 

EFEITOS (somente para apresentações fora do RS)

01 Máquina de Fumaça DMX com ventilador (controle da cabine), sempre que possível colocada no sistema de ar-condicionado.

 

SONORIZAÇÃO

01 mesa de 08 canais

01 EQ 31 bandas

02 monitores de palco

sistema de PA compatível com o local

MONTAGEM: 10 horas / DESMONTAGEM: 02 horas

 

TRANSPORTE

Dependendo da distância, transporte aéreo ou van ou carro grande para cenário e equipe de quatro pessoas (não incluindo motorista): 01 atriz, 01 produtor, 01 técnico de som e projeção, 01 técnico de luz.

 

PESO DO CENÁRIO: 70kg

 

ESTADIA E ALIMENTAÇÃO

Para 04 pessoas (não incluindo motorista)

Rooming list: 04 apartamento single ou 02 apartamentos single e 01 apartamento duplo