APRESENTAÇÃO E SINOPSE

Depois de 30 anos de trabalho na empresa “Marcondes & Marcondes Canos e Conexões”, a secretária bilíngue Marjori percebe que será demitida quando solicitam que ela treine uma mulher mais jovem para exercer exatamente as suas funções. Ocupada com lembranças, devaneios, tarefas e dificuldades em adaptar-se aos novos tempos, ela gasta sua vida em função de coisas que ela própria não escolhe, aceitando o que o “destino” lhe dá. É no seu diário que ela registra (ou inventa?) a poética de sua rotina massacrante.

 

 

Diário Secreto de uma Secretária Bilíngue reflete profundamente sobre a alma humana, o envelhecimento, a menopausa, a descartabilidade contemporânea e a sede de viver, usando o humor, mas também a reflexão como ferramentas. As referências foram buscadas a partir da observação da vida cotidiana de homens e mulheres que vivem situações parecidas com a de Marjori e da necessidade de aprofundar uma reflexão sobre a poética das pessoas absolutamente comuns, colocando uma lupa no “ordinário” em busca do “extraordinário”.

Ao revelar sua intimidade através do diário, a personagem se autoinvestiga e convida o público a fazer o mesmo. Passeando pelos seus devires mais rasos ou mais profundos, vamos refletindo (no sentido espelho e no sentido pensamento) o que nos irmana nessa condição do viver em sociedade.

A trilha sonora original, de Gigi Magno, alicerça a obra e reforça as diferentes atmosferas propostas pelo texto. A luz, de Fabricio Simões, passeia entre a crueza de um escritório e o lúdico do imaginário da personagem, criando climas e delimitando espaços de lembranças e do tempo presente. O figurino e o cenário, assinados por Rafael Silva, buscam complementar o drama da obsolescência vivida por Marjori. Para tanto, ela veste um tailleur Chanel clássico na sua cor predileta: o bordô.

O cenário traz elementos de um escritório clássico e um “banco” de canos e conexões (produtos da Marcondes & Marcondes) que se transforma em cena, bem como uma pipoqueira elétrica, que em determinado momento é acionada para oferecer pipoca aos espectadores. Mais do que apenas ilustrar o ambiente proposto, potencializa o drama e o humor da personagem.

Pautado em uma partitura corporal e vocal que investiga diversas potências rítmicas, a peça aposta no trabalho da atriz que dá vida a essa mulher em “estado de sítio, calamidade pública, mutação”. E é dessa situação limite que ela terá que se reinventar. Ou desinventar. Ou se recriar. Ou como ela tanto diz: “Recomeçar”.

O espetáculo é resultado do encontro entre o trabalho de dois artistas que pesquisam e desenvolvem espetáculos solo há muitos anos: a atriz Deborah Finocchiaro e o diretor, dramaturgo e ator Vinícius Piedade (que já circulou por dezesseis países de cinco continentes com seus espetáculos).

Por esse trabalho, Deborah foi indicada ao Prêmio Açorianos de Melhos Atriz 2019.

 

DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 60 minutos / CLASSIFICAÇÃO: 12 anos

FICHA TÉCNICA

Direção e Dramaturgia: Vinicius Piedade e Deborah Finocchiaro, a partir do texto de Vinicius Piedade.

Assistência de direção: Jardel Rocha

Elenco: Deborah Finocchiaro

Trilha sonora original: Gigi Magno

Cenário e Figurino: Rafael Silva

Iluminação: Fabrício Simões e Mauricio Moura

Técnico de Som: Luciano Garofalo

Projeto Gráfico: Leandro Selister

Mídias Sociais: Gabrielle Gazapina

Produção: Jordan Maia e Companhia de Solos & Bem Acompanhados

Coordenação de produção e Direção geral: Deborah Finocchiaro

Realização: Companhia de Solos & Bem Acompanhados

ALGUMAS CRÍTICAS E COMENTÁRIOS

“… uma excelente oportunidade – na verdade, uma imperdível oportunidade – de a gente se reencontrar com a atriz Deborah Finocchiaro, uma das artistas mais completas de nossos palcos… O texto de Vinicius Piedade e da própria atriz permitem-lhe a exploração a melhor possível de suas capacidades. Ela é uma grande atriz, e a simplicidade aparente com que trabalha a versatilidade das diferentes situações bem o evidencia.
A trilha sonora de Gigi Magno auxilia na criação dos climas e mudanças de cena, a partir de uma ambientação simples, mas eficiente, de Rafael Silva, que também assina os figurinos. A iluminação de Fabrício Simões faz boas transições de tempo e garante o ritmo do trabalho. De todo esse conjunto harmonioso, resulta um trabalho equilibrado, em que todos os elementos da performance estão seguros, com destaque especial para a própria atriz.
A direção de Vinicius Piedade tem a qualidade de ser atenta a detalhes, dispensando, assim, a palavra e a explicação óbvia. É na cena, é na sua ação dramática que a personagem deve se definir e se apresentar/identificar para o espectador. E isso ocorre às maravilhas neste trabalho.
… cada passagem é uma evidência desta atenção e da boa compreensão do que seja a arte do teatro. Para além disso, o desafio que a atriz tem, por ser um trabalho solo, de dominar o espaço cênico… Diário secreto de uma secretária bilíngue dá continuidade, assim, a uma vitoriosa carreira de Deborah Finocchiaro, que evidencia maturidade, domínio absoluto de suas potencialidades e conhecimento de suas próprias qualidades. É um momento de prazer assistir a um espetáculo como este, prazer sobretudo para quem goste de teatro, verdadeiramente, e para quem o ator em cena é, enfim, aquilo que melhor caracteriza a arte teatral.

Antonio Hohlfeldt, crítico teatral – Jornal do Comércio, 26 de julho de 2019

 

“O palco é um espelho – estamos todos ali, de alguma forma retratados nas páginas de seu diário, na repetição dos dias, nos sonhos não realizados, nas expectativas tão distantes da realidade. Nós e Marjori, homens e mulheres que desperdiçamos o bem mais precioso que nos é dado: o tempo.”

Ana Paula Bardini, Arquiteta e Atriz

 

“Deborah, com seu talento cômico, vai costurando a história de Marjori com nossas histórias diárias, nossos relacionamentos, enganos, desenganos, paixões e desamores. Com sutileza, desliza pelos quatro cantos do palco, em suas mãos objetos se transformam. A mesa no escritório da Marcondes & Marcondes é seu território, e Marjori gira em torno dela como aTerra ao redor do Sol. Seu diário é sua vida idealizada em cada página, cada linha.”

Iaraci Silva, Professora, Atriz e Contadora de Histórias

BREVES CURRÍCULOS

Deborah Finocchiaro é multiartista, estreou no teatro em 1985. Bacharel em Interpretação Teatral no DAD / UFRGS (1992), já participou de centenas de trabalhos como atriz no teatro, cinema e televisão. É também diretora, locutora, produtora, mestre de cerimônias, roteirista e ministrante. Ao longo de sua carreira, recebeu 36 prêmios, entre eles 9 de Melhor Espetáculo, 20 de Melhor Atriz, 2 de Melhor Direção, 1 de Melhor Texto Adaptado, 1 de Melhor Roteiro e 3 como Melhor Artista de Teatro. Em 1993 criou a Companhia de Solos & Bem Acompanhados que tem em seu repertório inúmeras obras, entre elas os espetáculos teatrais “Pois é, Vizinha…” (1993), “Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario Quintana” (2006), “Caio do Céu” (2017), “Diário Secreto de Uma Secretária Bilíngue” (2019), “Baile das Letrinhas” (2022) e o projeto “Sarau Voador – Literatura e Improvisos Transcriados”(2018) que já reuniu mais de 400 artistas de diferentes áreas e estados brasileiros. Entre os trabalhos realizados durante a pandemia, estão o projeto “Invisíveis – Histórias Para Acordar” (espetáculo virtual, exposições, performance e podcast), contemplado pelo Programa Iberescena em coprodução com Casulo – Núcleo de Artes Performativas, de Portugal, direção geral Deborah Finocchiaro (2020/2021), o vídeoteatro “Classe Cordial”, direção Jardel Rocha (2021), a websérie “Confessionário – Relatos de Casa”, direção Deborah Finocchiaro e Luiz Alberto Cassol (2020/2021) e os programas / podcasts “Estação Confessionário”, “Estação Sarau Voador” e “Invisíveis – Histórias para Acordar” (2021). Em 2014 foi a artista homenageada do 21º Festival Internacional de Teatro Porto Alegre Em Cena, ganhando a biografia “A Arte Transformadora”, escrita pelo jornalista Luiz Gonzaga Lopes, que integra o 5º volume da coleção Gaúchos Em Cena. Em 2020 foi tema do documentário “Deborah! O Ato da Casa”, longa-metragem com direção de Luiz Alberto Cassol (2020). Em 2022 lançou, pela Editora Bestiário, o livro infantil “Baile das Letrinhas”.

 

Vinicius Piedade é ator, diretor, dramaturgo e escritor. Entre outros, escreveu, dirigiu e atua no espetáculo solo CARTA DE UM PIRATA (2003). Ministrou oficinas no projeto DRAMATURGIA do SESC nacional em abril de 2007. Atuou como performer em shows da trupe O TEATRO MAGICO pelo pais (2007 e 2008). Escreveu, dirigiu e atua na peça CÁRCERE (2008), editado em alemão pela editora Zuckerhut Theaterverlag. Em 2010 fez sua primeira turnê pela Europa com apresentações de CARTA DE UM PIRATA e CÁRCERE na Suíça (Zurique e Berna) e na Alemanha (Berlin, Stuttgart e Munique). Escreveu, dirigiu e atua no espetáculo IDENTIDADE (…) (2012). Em 2012 fez sua primeira apresentação nos Estados Unidos, em Nova York, com CÁRCERE (traduzido como JAILHOUSE). Em 2013 apresenta-se na África (Cabo Verde), na Bolivia, em Portugal e na Alemanha. Ministrou a oficina ATOR INCONFORMADO no curso de Atuação da SP Escola de Teatro como Formador Convidado (2014). Em 2015 circulou em varias regiões do Brasil, em Portugal, na França e na Espanha. Em 2016 apresenta-se na China com CÁRCERE representando o Brasil no festival Internacional de Macau. Também nesse ano seu texto IDENTIDADE(…) é montado em Portugal por artistas portugueses. Em 2017 estreia dois espetáculos com seu texto e direção, Pais e Filhos (ou Lasanha de Berinjela 1) e IRMÃOS (ou Lasanha de Berinjela 2). Com CÁRCERE se apresenta no High Fest International Performing Arts na Armênia e no Mindelact em Cabo Verde. Em 2018 realiza as comemorações dos dez anos de CÁRCERE com apresentações em diversas cidades do Brasil, Índia, Portugal, Espanha, Rússia, Angola, Alemanha, Cabo Verde, Lituânia e Turquia. Em 2019 estreou seu novo espetáculo solo HAMLET CANCELADO, contemplado pelo ProAC de Obras Inéditas do estado de São Paulo e escreveu e dirigiu DIÁRIO SECRETO DE UMA SECRETÁRIA BILINGUE, em parceria com a atriz Deborah Finocchiaro. Segue em turnê permanente com seus cinco solos em repertório.

A COMPANHIA

Companhia de Solos & Bem Acompanhados, um dos núcleos de criação cênica mais atuantes do Rio Grande do Sul, caracteriza-se pela versatilidade, escolha de temas que estimulam a reflexão e o pensamento crítico e a mescla de diferentes linguagens. Ao longo de sua trajetória reuniu mais de 500 artistas e grupos de diferentes áreas e cidades brasileiras. Já atingiu mais de 500 mil pessoas através de seus espetáculos, oficinas e performances.

Além de dezenas de indicações, recebeu 43 prêmios, entre eles 10 de melhor espetáculo, 20 de melhor atriz, 2 de melhor cenário, 2 de melhor trilha, 2 de melhor direção, 1 de melhor texto adaptado, roteiro, figurino e 3 prêmios como melhor artista de teatro. Já percorreu mais de 80 cidades no RS, 18 estados brasileiros, Uruguai e Argentina, participando de temporadas, projetos, mostras e festivais nacionais e internacionais.

NECESSIDADES TÉCNICAS

O espetáculo poderá adaptar-se a diferentes espaços e condições técnicas a combinar.

 

Mapas, informações técnicas, referências e fotos do cenário:
https://drive.google.com/open?id=1VUEsf7pGZdnRixosYvc7GYlm05s0qZhy

 

MATERIAL (medidas aproximadas):
01 mesa de escritório ou escrivaninha de madeira: 120 x 70 x 80
01 cadeira de escritório com rodinhas, de preferência nas cores bordô ou vermelha: 54 x 46 x 100
Suporte para vaso (pipoqueira) vertical, de preferência em madeira: 27 diâmetro x 99 altura.
Para viagens fora do RS solicitamos também os seguintes ítens:
01 balde (de preferência transparente ou nos tons de bordô ou vermelho)
01 transformador de 110 para 220w (dependendo da voltagem do lugar)
Folhas de rascunho (um maço de 3 a 4cm de altura)

 

ILUMINAÇÃO:
01 Mesa de controle Avolite ou similar
18 canais de rac digital compa vel
10 elipsoidais ETC 36º
15 plano convexo
04 fresnel
18 par led RGBWA
Cabos e demais acessórios
2 técnicos para montagem
Tempo mínimo de montagem: 6hs
(responsável técnico Maurício Moura – demouramauricio@gmail.com – 51 99919-8729)

 

SONORIZAÇÃO:
01 mesa de som de no mínimo 6 canais (analógica ou digital)
Sistema de PA e retorno estéreo
(responsável técnico Luciano Garofalo – lucianosomdireto2@gmail.com – 51 98100-7288)

 

TRANSPORTE (Cenário e Equipe): Dependendo da distância, transporte aéreo, van sem o último banco, ou ônibus para transporte de cenário e equipe de 04 pessoas (não incluindo motorista): 01 atriz, 01 produtor, 01 técnico de luz, 01 técnico de som. Obs: Se for preciso, poderão viajar apenas 03 pessoas.

 

ESTADIA E ALIMENTAÇÃO: Para 04 pessoas (não incluindo o motorista) – Rooming list: 02 single e 01 duplo

 

MONTAGEM: 8h / DESMONTAGEM: 1h

IMPRENSA

[EM CONSTRUÇÃO]

 

Em breve

Diario_Fotos-DSC02495EDIT
Diário Secreto - foto Giovanna PozzerGP019
MACG5545

Acompanhe o espetáculo Diário Secreto de uma Secretária Bilíngue nas Redes Sociais: